Carta Brasileira de Cidades Inteligentes vai criar marco para regulamentação de smart cities no país
Com assessoria Construída nos últimos anos de forma colaborativa entre o poder público, academia, especialistas e empresas do segmento de inovação, além de representantes da sociedade civil organizada, a Carta Brasileira de Cidades Inteligentes será lançada durante o Smart City Session. O evento online será realizado nos dias 8 e 9 de dezembro pelo iCities, […]

Com assessoria

Construída nos últimos anos de forma colaborativa entre o poder público, academia, especialistas e empresas do segmento de inovação, além de representantes da sociedade civil organizada, a Carta Brasileira de Cidades Inteligentes será lançada durante o Smart City Session. O evento online será realizado nos dias 8 e 9 de dezembro pelo iCities, que promove desde 2018 a edição brasileira do maior debate sobre cidades inteligentes do mundo, chancelado pela Fira Barcelona. A Carta Brasileira é o documento mais aguardado pelo ecossistema brasileiro de inovação, oferecendo um conceito nacional para o termo “cidades inteligentes” e um conjunto de objetivos para as cidades avançarem em soluções que melhorem a vida das pessoas. Pauta prioritária dos ministérios de Desenvolvimento Regional (MDR) e Ciência, Tecnologia e Inovações, ela busca apoiar municípios e agentes nas ações locais para as smart cities.

“Será um marco para regulamentação do segmento de cidades inteligentes, ao criar um padrão no entendimento das esferas públicas e privada em relação aos direitos e deveres de cada um na requalificação dos nossos 5.500 municípios, algo de extrema importância para tudo que precisamos avançar em qualidade de vida e cidadania”, afirma Beto Marcelino sócio-fundador do iCities e embaixador da Fira Barcelona no Brasil. Ele participa da elaboração do documento na área de Governança das Cidades Inteligentes a convite dos ministérios envolvidos.

Lançamento e painel

O lançamento terá dois momentos, sendo o primeiro durante a cerimônia de abertura, no dia 8 de dezembro, às 8h, com a participação dos ministros de Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, de Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, e do embaixador da Alemanha, Heiko Thoms. 

O segundo momento será um painel de abertura no dia 9, também às 8h, sobre “A Carta Brasileira de Cidades Inteligentes e as perspectivas de crescimento e desenvolvimento nas gestões de 2021-2024”, com participação de representantes do MDR, a agência de cooperação alemã GIZ e de prefeituras, abordando o processo de implementação da Carta para o desenvolvimento dos municípios.

“A Carta vai impulsionar o debate sobre as perspectivas de crescimento e desenvolvimento dos municípios. O Smart City Session conta com um público dos mais diferentes setores, em formato 100% digital com todo o conteúdo técnico aberto e gratuito. O evento é um palco de importantes debates e disseminador de conhecimento para que possamos ter não só um futuro promissor, como também um presente pautado em ações e projetos de qualidade em prol do desenvolvimento eficiente das cidades”, reforça Marcelino.

Sobre a Carta Brasileira

A Carta foi escrita em um processo participativo e aberto com representantes do setor público, setor privado, academia, instituições de representação e sociedade civil organizada. O trabalho foi realizado no âmbito do projeto de cooperação Brasil Alemanha Apoio à Agenda Nacional de Desenvolvimento Urbano Sustentável no Brasil (ANDUS). Os iniciadores e coordenadores do processo são o Ministério do Desenvolvimento Regional, o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações, o Ministério das Comunicações e a agência alemã GIZ. O ponto final da formulação foi uma consulta pública encerrada agora em novembro.

Os objetivos da Carta são:

1 - A transformação digital nas políticas, programas e ações de desenvolvimento urbano sustentável, respeitando as diversidades e considerando as desigualdades presentes nas cidades brasileiras;

2 - Prover acesso equitativo à internet de qualidade para todas as pessoas;

3 - Estabelecer sistemas de governança de dados e de tecnologias, com transparência, segurança e privacidade;

4 - Adotar modelos inovadores e inclusivos de governança urbana e fortalecer o papel do poder público como gestor de impactos da transformação digital nas cidades;

5 - Fomentar o desenvolvimento econômico local no contexto da transformação digital;

6 - Estimular modelos e instrumentos de financiamento do desenvolvimento urbano sustentável no contexto da transformação digital;

7 - Fomentar um movimento massivo e inovador de educação e comunicação públicas para maior engajamento da sociedade no processo de transformação digital e de desenvolvimento urbano sustentáveis;

8 - Construir meios para compreender e avaliar, de forma contínua e sistêmica, os impactos da transformação digital nas cidades.

“Além desses oito objetivos, a Carta vai atrair, reter e desenvolver talentos, gerando mão de obra especializada para as novas formas de emprego em empresas nascentes de base tecnológica, conhecidas como startups. Também irá criar novas condições para melhoria da qualidade de vida nas cidades, através da capacitação técnica necessária aos entes responsáveis pelo desenvolvimento econômico, social e ambiental do município, ampliando a geração de riqueza e competitividade de toda região”, reforça o diretor do iCities.

Smart City Session

A primeira edição global inteiramente online sobre smart cities chancelada pela Fira Barcelona será realizada no Brasil nos dias 8 e 9 de dezembro. Com inscrições abertas, o Smart City Session inaugura uma experiência totalmente nova no segmento. Além das palestras de especialistas em temas que brotaram da crise da pandemia e permitirão planejar o ano de 2021, o evento terá salas de discussão com os convidados, em que o público poderá seguir o debate e interagir com os speakers e demais participantes em ações de networking de negócios, matchmaking e reuniões. 

O Session também servirá de avant-première para a realização da terceira edição do Smart City Expo Curitiba, em 2021. A edição presencial deste ano, que deveria reunir cerca de 10 mil pessoas, foi suspensa por causa da pandemia da Covid-19. 

O Smart City Session está baseado em quatro pilares temáticos relacionados ao cenário das cidades e soluções pós-pandemia: Felicidade e Bem Estar; Legado da Pandemia; Resiliência do Espaço Urbano; e Governança e Economia. O evento tem como global partner a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), como local partner o Sebrae Paraná, como event partner a Dataprom, a Celepar, a FRG e a Wallonia, e como digital partner a Betha Exati, Iwg, Cits, Portal dos Elétricos/Smart Moov, Sanetran, Smart Green, Muni Digital e Gazz Conecta.

SERVIÇO:

Smart City Sessions (evento online)

8 e 9 de dezembro de 2020 

Lote 2: R$ 490 a partir de 1º de dezembro

Adquira o seu ingresso no www.smartcitysession.com  

Sobre o iCities

O iCities foi fundado em 2011 com a visão de que as cidades devem ter papel muito mais proativo no desenvolvimento da sociedade. Dentre os projetos de maior relevância da empresa estão a vinda e organização do maior congresso do tema de smart cities de Barcelona para Curitiba – o Smart City Expo Curitiba. O iCities também trabalha com consultoria para projetos de smart city para municípios de todo o país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *